sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Próximo Filme

45 Anos - 45 Years (2015)

11 Fevereiro
45 Anos - 45 Years (2015)
de Andrew Haigh

nomeado para Oscar Melhor Actriz

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Programação Fevereiro 2016

4 Fevereiro
A Ponte dos Espiões - Bridge of Spies (2015)
de Steven Spielberg

A Ponte dos Espiões - Bridge of Spies (2015)


11 Fevereiro
45 Anos - 45 Years (2015)
de Andrew Haigh

45 Anos - 45 Years (2015)


18 Fevereiro
Amy (2015)
de Asif Kapadia

Amy (2015) de Asif Kapadia


25 Fevereiro
sessão inserida no Correntes D'Escritas 2016
A Morte de Carlos Gardel (2011)
de Solveig Nordlund

A Morte de Carlos Gardel (2011)

25 Fevereiro 2016

Quinta-feira - Sessão #1300
21h45 Cine-Teatro Garrett



A Morte de Carlos Gardel (2011)

sessão inserida no Correntes d'Escritas 2016

Correntes D'Escritas 2016
A Morte de Carlos Gardel (2011)
de Solveig Nordlund
com Rui Morrison, Teresa Gafeira, Celia Williams, Carlos Malvarez
85 min, Portugal
M/12, Drama
crítica: Público [JM], Público [LMO], 7arte; folha sala Cineclube Faro

A Morte de Carlos Gardel (2011)


sinopse:
Nuno (Carlos Malvarez), o filho toxicodependente de Álvaro e de Cláudia (Rui Morrison e Celia Williams), encontra-se numa cama de hospital em coma devido a uma overdose. Durante dois dias, ele é visitado por várias pessoas da família que sofrem o pesadelo da sua morte iminente e, supostamente, evitável. Assim, confortado por eles e através das suas memórias, vamos conhecendo o passado de Nuno e o presente de cada um, com as suas tristezas, culpas e desolações. É então que Álvaro, o pai, numa fuga ao sofrimento, transforma a sua paixão pelo tango - e pelo cantor argentino Carlos Gardel - numa obsessão sem limites. Baseado na obra homónima de António Lobo Antunes, um drama realizado por Solveig Nordlund ("Aparelho Voador a Baixa Altitude", "A Filha") que é, segundo a própria realizadora, um filme sobre "um conjunto de más consciências". [ PÚBLICO ]


18 Fevereiro 2016

Quinta-feira - Sessão #1299
21h45 Cine-Teatro Garrett

Amy (2015)

Amy (2015)
de Asif Kapadia
128 min, GB
M/12, Documentário
nomeado para Oscar Melhor Documentário
crítica: Sight and Sound, NYTimes, Slant, Público [LMO], Público [VC]

Amy (2015)


sinopse:
A 23 de Julho de 2011, o mundo da música recebia a notícia da morte de Amy Jade Winehouse. Tinha 27 anos, a mesma idade de outros "mártires" da pop quando desapareceram (Brian Jones, Jimi Hendrix, Janis Joplin, Jim Morrison, Kurt Cobain…), o que veio alimentar a glorificação da sua figura. Nascida em 1983, Amy cresceu no bairro londrino de Southgate. Viria a tornar-se uma das mais celebradas cantoras soul. A projecção para a fama planetária – essa fama que sempre disse nunca ter desejado – deu-se com o álbum "Back to Black" (2006), que incluía temas como "Rehab", "You know I'm no good" ou "Tears dry on their own". Mais de 12 milhões de cópias foram vendidas em todo o mundo. Os Grammys também se lhe renderam: conquistou cinco galardões. Houve quem lhe atribuísse até a inauguração de uma "escola" musical feita de ensinamentos da soul e de uma certa nostalgia musical à medida do século XXI. A voz, associada aos exageros de "eyeliner" e cabelo, compunham toda uma "persona" que não falhava em agitar o meio. Fez manchetes pelo vozeirão, mas também pelos escândalos e pseudo-escândalos associados à dependência de álcool e drogas, a um estilo de vida irregular e a uma vida pessoal conturbada. Amy viu-se perante a dificuldade em lidar não só com esses problemas, mas também com a voraz curiosidade da comunicação social. Esse desequilíbrio continua a ser apontado como o factor determinante para o seu final trágico. Chegou a subir aos palcos em Portugal, no festival Rock In Rio Lisboa 2008. Quem a viu recorda o momento constrangedor de encontrar uma mulher trôpega, disfuncional e incapaz de se manter em pé – quanto mais cantar. A rota de decadência continuou. Em 2011, chegou a ter concerto marcado para o festival Sudoeste, na Zambujeira do Mar, em Agosto, mas a actuação acabou por ser cancelada por alegados problemas de saúde. Amy não sobreviveria a esse Verão. Estreado em Cannes, tendo como pano de fundo a polémica da não-aprovação da sua família mais próxima, "Amy" tem a assinatura do inglês Asif Kapadia, que já tinha sido responsável por "Senna" (2010), o premiado "biopic" sobre o piloto brasileiro de Fórmula 1 Ayrton Senna. Combina imagens de arquivo (muitas inéditas) recolhidas pelo realizador e reflecte o conteúdo de mais de uma centena de entrevistas que fez a familiares – incluindo o ex-marido, Blake Fielder-Civil –, amigos e elementos da indústria musical. O documentário, que chega aos cinemas no dia do quarto aniversário da morte da cantora, traça um retrato comovente de alguém que, apesar da forte personalidade artística, era a fragilidade em pessoa. Tendo como fio condutor as letras das suas canções, Amy é recordada como uma vítima do próprio sucesso. [ PÚBLICO ]


11 Fevereiro 2016

Quinta-feira - Sessão #1298
21h45 Cine-Teatro Garrett

45 Anos - 45 Years (2015)

45 Anos - 45 Years (2015)
de Andrew Haigh
com Charlotte Rampling, Tom Courtenay, Dolly Wells
91 min, GB
M/12, Drama
nomeado para Oscar Melhor Actriz
crítica: Sight and Sound, NYTimes, Slant, Público [JM], DN, DN

45 Anos - 45 Years (2015)

sinopse:
Apesar de nunca terem tido filhos, o casal Kate e Geoff Mercer são felizes. Com a festa do 45.º aniversário para organizar, ela está entusiasmada em celebrar a relação e tudo o que conquistaram ao longo dos anos em comum. Mas tudo se altera quando Geoff recebe uma carta da Suíça a informá-lo de que foi descoberto o cadáver de Katya, a namorada anterior a Kate, que morreu tragicamente em 1962 durante umas férias do casal, ao cair numa fissura de um glaciar. Aquela notícia abala-o de um modo inesperado, levando-o a voltar a fumar e a afastar-se de tudo o que se relaciona com a vida presente. Assim, à medida que se aproxima a data da celebração, o casal sente-se mergulhar cada vez mais nas histórias passadas. E esse exercício – perigoso para ambos – fá-los colocar em causa o futuro em comum… Em competição na 65.ª Edição do Festival de Cinema de Berlim (onde Charlotte Rampling e Tom Courtenay receberam o Urso de Prata para melhor actriz e actor), um filme dramático realizado por Andrew Haigh (“Amor de Fim-de-Semana”) que tem por base o conto “Another Country”, escrito por David Constantine. [ PÚBLICO ]


4 Fevereiro 2016

Quinta-feira - Sessão #1297
21h45 Cine-Teatro Garrett

A Ponte dos Espiões - Bridge of Spies (2015)


A Ponte dos Espiões - Bridge of Spies (2015)
de Steven Spielberg
com Tom Hanks, Mark Rylance, Scott Shepherd, Amy Ryan, Sebastian Koch, Alan Alda
141 min, EUA
M/12, Drama
nomeado para 6 Oscares, incluíndo Melhor Filme e Melhor Argumento Adaptado
crítica: NY Times, Slant, Público [JM], Público [LMO], ÀPaladeWalsh, DN, DN

A Ponte dos Espiões - Bridge of Spies (2015)

sinopse:
Início da década de 1960. Os EUA e a União Soviética encontram-se em plena Guerra Fria. A 1 de Maio de 1960, um U-2 (avião de reconhecimento norte-americano) sobrevoava o território soviético quando é atingido pelo inimigo. Francis Gary Powers, o piloto, consegue sobreviver ao saltar de pára-quedas mas é posteriormente capturado e feito prisioneiro. A sua captura transforma-se num problema de Estado pois, se Powers ceder, pode revelar informações fundamentais que porão em causa muitas das estratégias militares dos EUA. É então que James B. Donovan, o advogado encarregado de defender Rudolf Abel, um espião do KGB capturado anos antes pelo FBI, é contactado para negociar a libertação do piloto em troca da libertação do seu ex-cliente, a cumprir 30 anos de pena de prisão. Mesmo sem experiência em negociações deste nível, Donovan viaja até Berlim (Alemanha), onde se torna numa peça essencial dos negócios entre os Estados Unidos e a União Soviética. Num esforço para fazer o que é correcto e cumprir a sua missão, Donovan vê-se enredado num ambiente de tensão política entre dois pólos inimigos. E ele sabe que qualquer passo em falso pode significar o início de uma guerra entre duas superpotências e a consequente morte de milhares de inocentes. Com realização do veterano Steven Spielberg (“Os Salteadores da Arca Perdida”, “ E.T. - O Extra-Terrestre”, “Império do Sol”, “A Lista de Schindler”, “Apanha-me Se Puderes”, “Lincoln”) e argumento de Matt Charman e de Ethan Coen e Joel Coen (os irmãos responsáveis por filmes como “O Grande Lebowski”, “Irmão, Onde Estás?”, “Este País Não É para Velhos” ou “Indomável”, entre outros), um “thriller” político que se baseia em eventos reais ocorridos durante a década de 1960, hoje conhecido por “incidente do avião U-2”. O elenco conta com Tom Hanks, Mark Rylance, Amy Ryan e Alan Alda, entre outros. [ PÚBLICO ]


sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Convocatória - Assembleia Geral

Ex.mo(a) consócio(a) do Octopus - Grupo de Investigação Científica e Animação Cultural (vulgo Cineclube Octopus),

Vimos por este meio convocar V.Ex.ª a estar presente na Assembleia Geral Ordinária da referida associação, pelas 17 horas do próximo dia 9 de Janeiro de 2016, Sábado, na sede do Clube Naval Povoense, sita na Rua da Ponte, nº 2, na cidade da Póvoa de Varzim, com a seguinte

ORDEM DE TRABALHOS

Ponto 1.º - Leitura e Votação da Acta da Assembleia Geral Ordinária anterior;

Ponto 2.º - Apresentação, Análise e Votação do Relatório de Contas da Direcção;

Ponto 3.º - Eleição dos novos corpos gerentes: Direcção, Mesa da Assembleia Geral e Conselho Fiscal, para o mandato de 2016;

Ponto 4.º - Discussão de outros assuntos de interesse para a Associação.

Se à hora marcada não estiverem presentes o número suficiente de associados para a Assembleia Geral se realizar, esta funcionará em segunda convocatória, meia hora depois, com qualquer número de associados e com a mesma ordem de trabalhos.

Sem outro assunto de momento, com os melhores cumprimentos

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral
Hilário Amorim

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Programação Janeiro 2016

7 Janeiro
Montanha (2015)
de João Salaviza

Montanha (2015) de João Salaviza

14 Janeiro
As Sufragistas - Suffragette (2015)
de Sarah Gavron

As Sufragistas - Suffragette (2015) de Sarah Gavron

21 Janeiro
Minha Mãe - Mia Madre (2015)
de Nanni Moretti

Minha Mãe - Mia Madre (2015) de Nanni Moretti

28 Janeiro
Que Horas Ela Volta? (2015)
de Anna Muylaert

Que Horas Ela Volta? (2015) de Anna Muylaert


28 Janeiro 2016

Quinta-feira - Sessão #1296
21h45 Cine-Teatro Garrett

Que Horas Ela Volta? (2015) de Anna Muylaert

Que Horas Ela Volta? (2015)
de Anna Muylaert
com Regina Casé, Camila Márdila, Karine Teles, Lourenço Mutarelli, Michel Joelsas, Helena Albergaria
112 min, Brasil
Drama, M/12
prémio do Público Festival de Berlim
prémio do Júri Festival Sundance
crítica: Slant, EyeForFilm, Público [JM], Público [LMO], DN, DN

Que Horas Ela Volta? (2015) de Anna Muylaert

sinopse:
Val deixou a cidade de Pernambuco (Brasil), para ir trabalhar como empregada doméstica em São Paulo. Para se sustentar e poder enviar dinheiro, deixou Jéssica, a filha ainda pequena, para ser criada com os avós. Durante 13 longos anos, ela vive afastada da família, dedicando-se totalmente a educar e criar Fabinho, o filho dos patrões. É então que Jéssica, já quase mulher, lhe pede para ir para São Paulo para fazer os exames para ingressar na universidade. Os patrões de Val, contentes com a notícia, insistem para que a rapariga fique em sua casa. Porém, a chegada dela vem pôr em risco o equilíbrio que até aí existiu entre a submissão cega da empregada e o poder do dinheiro… Um filme dramático sobre a diferença de classes no Brasil que conta com realização e argumento da brasileira Anna Muylaert (“É Proibido Fumar”, “Chamada a Cobrar”). Depois da passagem pelo Festival de Cinema de Sundance (onde recebeu o Prémio do Júri) e pelo Festival de Berlim (onde arrecadou o Prémio do Público), “Que Horas Ela Volta?” é o candidato brasileiro à nomeação para a categoria de Melhor Filme Estrangeiro na 88.ª edição dos Óscares. [ PÚBLICO ]


21 Janeiro 2016

Quinta-feira - Sessão #1296
21h45 Cine-Teatro Garrett

Minha Mãe - Mia Madre (2015) de Nanni Moretti

Minha Mãe - Mia Madre (2015)
de Nanni Moretti
com Margherita Buy, John Turturro, Giulia Lazzarini, Nanni Moretti, Beatrice Mancini
107 min, Itália / França
Drama, M/12
Selecção Oficial Festival Cannes 2015
crítica: Sight and Sound, SlantPúblico [LMO], Público [JM], DN, DN, ÀPaladeWalsh

Minha Mãe - Mia Madre (2015) de Nanni Moretti

sinopse:
Margherita é uma realizadora de sucesso que se prepara para iniciar as filmagens da sua mais recente obra. O novo filme conta com Barry Hughins, uma estrela conhecida internacionalmente, tanto pelos papéis que desempenha, como pelo seu feitio irascível. Ela sente-se assoberbada pelas expectativas dos seus colegas de profissão e do público e por tudo o que lhe é exigido durante as rodagens. Paralelamente a isso, em termos pessoais, ela está a atravessar um momento particularmente difícil: terminou a relação com o seu companheiro de anos, a sua única filha está em plena crise de adolescência e a mãe encontra-se internada num hospital, gravemente doente. O seu único apoio é Giovanni, o irmão, com quem mantém uma relação constante e de grande proximidade...
Com assinatura do italiano Nanni Moretti (“Querido Diário”, “Abril”, “O Quarto do Filho”, “Habemus Papam – Temos Papa”), um melodrama contido sobre as crises existenciais contadas a partir de três gerações de mulheres. O elenco conta com a participação de Margherita Buy, John Turturro, Giulia Lazzarini e, como sempre nos seus filmes, o próprio realizador. [ PÚBLICO ]

MINHA MÃE, um filme de NANNI MORETTI from Leopardo Filmes on Vimeo.